EnglishFrenchPortugueseSpanish

Inbound Marketing: a estratégia de atração

Veja algumas informações:

Inbound Marketing: a estratégia de atração

O marketing, assim como outras áreas, está sempre em constante mudanças para conseguir se adequar à nova realidade de consumo e manter a atração adequada de potenciais clientes. O inbound marketing, por exemplo, é uma estratégia de marketing de atração que tem sido muito utilizada em diversos segmentos devido aos benefícios, mas que teve sua potência revelada/ampliada junto a inserção das mídias digitais.

 

Mas, afinal, o que é exatamente o inbound marketing, quais seus diferenciais e como aplicá-lo ao negócio? Confira essas questões no decorrer do artigo a seguir.

O que é Inbound Marketing?

O Outbound Marketing consiste, de modo geral, na publicidade tradicional e interruptiva, sendo o formato que as pessoas mais estão acostumadas a ver, como contato direto por telefone, anúncios em TV, e-mail, estandes em eventos, vídeos publicitários na internet e tv, entre outras possibilidades.

O custo das ações de outbound são mais altos e, quando feitos apenas nas plataformas tradicionais, apresentam maior dificuldade de mensuração dos resultados das campanhas.

Já no Inbound Marketing, as ações se baseiam no diálogo constante entre empresa e consumidor, por meio de diferentes conteúdos criados e utilizados para atrair e nutrir o público.

Com isso, a confiança e a credibilidade vão se fortalecendo a longo prazo, melhorando a relação com o usuário.

 

O processo de divulgação nesse modelo pode ser feito por e-mail, postagem de conteúdos em blogs e redes sociais, além de outras ações voltadas à troca e criação de materiais de valor para os usuários.

 

Além disso, o custo tende ser mais baixo, mesmo quando há uso de anúncios, e pode ser feito – inclusive – de forma orgânica (sem aporte financeiro em campanhas de anúncio), e os resultados podem ser mensurados com rapidez.

 

Assim, pode-se afirmar que enquanto as principais características do outbound são o menor engajamento, comunicação unilateral e interrupção constante; o Inbound se caracteriza pela comunicação aberta e constante com os clientes, maior engajamento e mensagem com continuidade.

 

Isto posto, assim como anunciar no Google Ads é importante, entender as diferenças entre inbound e outbound é necessário para criar ações e campanhas mais focadas e, com o tempo, obter excelentes resultados.

 

Neste ponto, alguns empreendedores podem se questionar se realmente vale a pena investir no inbound marketing nos negócios.

 

Por esse motivo, também é preciso destacar as principais vantagens desta estratégia, que são:

 

  • Aproxima os clientes;
  • Melhora o ticket médio;
  • Possibilidade de mensurar os resultados em tempo real;
  • Reduz custos;
  • Diminui o ciclo de vendas;
  • Aumenta o poder de persuasão e otimiza tratativas;
  • Permite alcançar um público mais adequado;
  • Ajuda no ranqueamento e tráfego qualificado;
  • Traz mais confiança e credibilidade;
  • Disponibiliza conteúdos interessantes para atrair clientes.

Etapas do Inbound Marketing e como colocá-las em prática

  1. Conhecendo bem os benefícios do inbound, é possível colocar em prática todas as técnicas em cada etapa e, assim, aumentar os lucros e a base de clientes.

     

    No inbound marketing há quatro etapas importantes para alcançar o sucesso, são elas:

    1.   Atração

    Nesta etapa, ter um tráfego qualificado é mais importante do que ter muitas pessoas simplesmente visitando os canais. Visitantes qualificados proporcionam mais chances de uma venda no futuro.

     

    Apesar disso, por se tratar da introdução do potencial cliente à jornada de compra, o ideal é ampliar os pontos de relacionamento e oportunidades de alcançar audiências mais diversas, tendo um público maior, ainda qualificado ou com potencial de qualificação.

     

    Para que isso seja possível, é preciso desenvolver conteúdos relevantes e relacionados ao setor de atuação, resolvendo possíveis dúvidas e dores que os clientes têm sobre o produto/serviço.

     

    Tais materiais desenvolvidos podem ser distribuídos em blogs, sites e redes sociais para alcançar diferentes perfis do seu nicho de público-ideal.

     

    No processo de criação, utilizar técnicas de SEO (Search Engine Optimization), por exemplo, é o modo de conseguir tráfego qualificado, pois o SEO faz o ranqueamento das páginas do Google por meio do uso de palavras-chave, termos utilizados nas buscas dos clientes e que precisam compor os conteúdos.

     

    Essa ação também é conhecida como marketing de conteúdo, tendo alto potencial para a atração e nutrição dos leads por meio de diferentes formatos de publicações.

    2.   Conversão

    A segunda etapa é focada em converter os leads em clientes.

     

    Esse processo pode acontecer com a geração de conteúdo, mas com a diferença de que os profissionais podem utilizar mais do seu poder de persuasão, tendo materiais ainda densos, mas mais direcionados aos produtos e benefícios que estes oferecem.

     

    As ferramentas que podem ajudar neste processo são:

     

    • Formulários e landing pages;
    • Registros e realização de contatos mais próximos;
    • Ferramentas como o CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente);
    • Ter métricas efetivas de acampamento, como o CRO (Otimização da Taxa de Conversão).

     

    Criar anúncios utilizando plataformas Ads também podem ajudar a chamar atenção dos leads.

     

    Nesses casos, entender como funciona o Facebook Ads é importante para desenvolver campanhas interessantes, que vão além de evidenciar os produtos e promoções, mas os aliando a materiais de qualidade e com poder de venda.

     

    A ferramenta tem ótimo custo-benefício, funcionamento simples e intuitivo, além de permitir o desenvolvimento dos anúncios em diferentes formatos e que podem ser vinculados em outras redes.

    3.   Venda

    Após atrair os leads, as oportunidades de venda se tornam reais, mas para que as compras realmente ocorram, é necessário ter mais conhecimentos sobre a persona – o que deve ser construído desde o primeiro contato e identificação das estratégias aplicadas.

     

    Neste caso, no entanto, tal conhecimento será usado nas tratativas e quebras de objeção, caso existam, principalmente na área de serviços, promovendo uma venda de qualidade e mais adequada aos objetivos da marca e necessidade do cliente.

     

    Isso pode ser feito com o uso de ferramentas como o email marketing, nutrição de leads e automação de marketing, ações que são determinantes para a realização das vendas.

    4.   Encantamento

    A concretização de uma venda é algo que deve ser muito comemorado, mas isso não significa que o relacionamento com o cliente acaba.

     

    Pensar em serviços e um atendimento pós-venda é essencial para manter uma boa relação e deixar os clientes satisfeitos, favorecendo o retorno e indicações.

     

    Um relacionamento ativo, conteúdos mais avançados e campanhas no Instagram Ads, por exemplo, podem ajudar nesta etapa.

     

    Uma questão importante é que com o encantamento, as pessoas tendem a fazer compras mais consideráveis, bem como passam a indicar mais a sua marca, algo que ajuda a aumentar a base de clientes.

     

    Portanto, entender todas as fases, ferramentas e estratégias que podem ser exploradas no inbound marketing são formas de obter sucesso nos negócios de forma estratégica e, muitas vezes, orgânica.

Compartilhe esse blog

veja mais dicas sobre marketing

Em breve lançamento

Em breve iremos lançar um dos cursos mais completos de marketing digital com vagas limitadas, deixe seu
contato abaixo e entre em nossa lista de espera: